27.9.16

Para fazer morada no aqui-agora

Certa vez ouvi de um grande mestre que a vida humana é feita de sabores e dissabores, que sob a perspectiva humana, a vida não é inteiramente isenta de dor e de desgosto, assim, o mais saudável, era optar por aprender a conviver com tal realidade do que evitar. Concordei de imediato. A maior parte da dor humana é desnecessária, pois é criada pela mente humana, um cavalo xucro que pode ser domesticado com algumas práticas diárias simples para cultivar a positividade. 

Toda dor criada por nós é sempre uma forma de não aceitação do contínuo fluxo da vida, de dar e receber e de deixar que as perdas se passem. A falta de aceitação, como uma forma de resistência - muitas vezes inconsciente àquilo que é - é também um julgamento e, emocionalmente avaliando, trata-se de uma forma de negatividade.

24.5.16

Metade dos que tomam antidepressivos não estão deprimidos

Um estudo publicado hoje na revista americana The journal of the American Medical Association (JAMA) mostrou que aproximadamente 50% das indicações de medicamentos antidepressivos eram para pacientes com desordens diferentes da depressão. Muitas dessas prescrições foram feitas para problemas como ansiedade, insônia, dor, distúrbios de déficit de atenção e bulimia.

Os pesquisadores investigaram, por dez anos, dados de registros médicos eletrônicos de Québec, Canadá, e checaram mais de 100 mil receitas de antidepressivos escritas por cerca de 160 médicos para cerca de 20 mil pessoas. A descoberta levantou preocupação porque as drogas estão sendo receitadas para casos que ainda não foram avaliados pelas agências reguladoras.

20.4.16

A ansiedade na visão do Ayurveda

Diferentemente da visão ocidental, que tende a considerar a ansiedade como um estado normal e passageiro, no Ayurveda ele é considerado um sintoma bem claro de que algo não vai bem há algum tempo e já é visto como uma das primeiras fases do processo de adoecimento.

Com o tempo, o transtorno passa a afetar o sistema nervoso, leva à outras desordens e pode causar maiores complicações na saúde tanto mental-emocional quanto física. Originado pela agravação do dosha Vata (ar + espaço), de qualidades seco, frio e leve, para pacificá-lo é preciso submeter o paciente a um tratamento gerador de oleosidade, calor e peso.

30.3.16

O grão de arroz e o Universo

extraído do livro A ARTE DE COMER, de Thich Nhat Hanh

* Thich Nhat Hạnh é mestre zen-budista vietnamita, ativista e escritor.

16.3.16

Os nove passos para o perdão, segundo Dr. Fred Luskin

Pesquisas científicas já estão comprovando os benefícios mentais, emocionais e físicos do ato de perdoar nos seres humanos.  Criador de um dos mais importantes estudos sobre o tema, Frederic Luskin, PhD em psicologia, fundou um centro, em 1999, apenas dedicado aos estudos sobre o Perdão dentro da Universidade de Stanford, nos EUA.

Segundo Luskin, o processo de formação da mágoa possui um efeito paralisante na vida das pessoas e o perdão é uma forma eficaz para atingir a calma e a paz, tanto com o outro quanto consigo mesmo. Ele também propõe uma terapia que encoraja as pessoas a terem maior responsabilidade sobre suas emoções e ações; e serem mais realistas sobre os desafios e quedas da vida.  Confira, através de nove etapas, um pouco da técnica de perdão proposta pelo cientista:

17.2.16

Médico com 90% de partos normais explica sucesso

Priscila Suyama sendo assistida em seu parto domiciliar. Pietro nasceu no dia 03/04/2015. Foto: Sam Golob
Priscila Suyama sendo assistida por Dr. Braulio em seu 
parto domicilar. Foto: Sam Golob/Jornal Estado de SP
Em tempos de índices estratosféricos de partos cesarianas alguns médicos que caminham na direção contrária acabam por chamar muita atenção. Dr. Braulio Zorzella, 38 anos, é um deles: em doze meses conduziu 80 partos normais e 8 cesarianas. Há cinco anos ele também não faz o corte no períneo - região entre a vagina e o ânus - para ampliar o canal de parto para o bebê passar, prática amplamente adotada no Brasil. 

Segundo ele, com o tempo e a prática passou a entender o que de fato ocorria com o corpo feminino durante o parto: “Eu achava que algumas mulheres não dilatavam e indicava cesárea com parada da dilatação com três centímetros, por exemplo. Hoje já entendo que fiz isso quando elas estavam nos pródromos, fase anterior ao trabalho parto. E algumas mulheres ficam muito tempo nessa fase."