24.5.16

Metade dos que tomam antidepressivos não estão deprimidos

Um estudo publicado hoje na revista americana The journal of the American Medical Association (JAMA) mostrou que aproximadamente 50% das indicações de medicamentos antidepressivos eram para pacientes com desordens diferentes da depressão. Muitas dessas prescrições foram feitas para problemas como ansiedade, insônia, dor, distúrbios de déficit de atenção e bulimia.

Os pesquisadores investigaram, por dez anos, dados de registros médicos eletrônicos de Québec, Canadá, e checaram mais de 100 mil receitas de antidepressivos escritas por cerca de 160 médicos para cerca de 20 mil pessoas. A descoberta levantou preocupação porque as drogas estão sendo receitadas para casos que ainda não foram avaliados pelas agências reguladoras.

O porquê da comunidade médica receitar antidepressivos para estas desordens não foi examinado, mas há a suspeita de que pode ser uma medida de último recurso. "Algumas dessas condições não possuem um tratamento exato. Os pacientes podem estar desesperados por algo para tratar suas doenças", revelou a autora do estudo Jenna Wong, doutoranda na Universidade McGill. 

Ainda segundo ela, antes do estudo a comunidade científica já tinha o conhecimento do fato e as conclusões da pesquisa só veio confirmar. Além disso, o constante aumento nas indicações das principais classes de antidepressivos tem se mostrado uma forte tendência ao longo das décadas.

Nenhum comentário: